30 de abril de 2009

Rádio Casé - Ficha Técnica

Alfie (Burt Bacharach)
Disco: Resalah's Band (RCA Victor, 1970).
Músicos: Orquestra arregimentada pelo baterista Turquinho
Arranjo: Chiquinho de Morais

Bossa na Praia (Pery Ribeiro/Geraldo Cunha)
Disco: Sadao Watanabe Meets Brazilian Friends (Columbia, 1968)
Músicos: Sadao Watanabe (sax alto) e Brazilian Octopus (Casé, sax alto; Carlos Alberto Alcântara, sax tenor; Waldir Arouca, trompete; Cido Bianchi, piano; Garoto, vibrafone; Alemão, violão; Mathias Matos, contrabaixo; Douglas Oliveira, bateria)

But not for me
(Ira/George Gershwin)
Disco: Jazz After Midnight (Columbia, 1956, ao vivo, no Teatro Cultura Artística)
Músicos: Case (sax alto), Dick Farney piano, Chu Viana (contrabaixo), Rubinho Barsotti (bateria)

Carinho e Amor (Tito Madi)
Disco: Samba Irresistível/Casé e seu conjunto (Hi Fi Variety, 1960)
Músicos: Casé (clarinete), Paulo Lima de Jesus (piano), Heraldo do Monte (guitarra), Garoto (vibrafone), Xu Viana (contrabaixo), Dirceu Medeiros (bateria), Waldemar e Tizu (percussão)

Copacabana (Braguinha/Alberto Ribeiro)
Disco: The Good Neighbors Jazz (Columbia, 1958).
Músicos: Casé (sax alto), Major Holley (contrabaixo), Moacyr Peixoto (piano) e Jimmy Campbell (bateria)

Don’t get around much anymore (Duke Ellington/Bob Russell)
Disco: Coffe & Jazz/Brazilian Jazz Quartet (Columbia, 1958).
Músicos: Casé (sax alto), Moacyr Peixoto (piano), Luiz Chaves (contrabaixo) e Rubinho Barsotti (bateria)

Ensaio de Bossa (Casé)
Disco: Samba Irresistível/Casé e Seu Conjunto (Columbia, 19960)
Músicos: Casé (sax tenor), Heraldo do Monte (guitarra), Paulo Lima de Jesus (piano), Garoto (vibrafone), Xu Viana (contrabaixo), Dirceu Medeiros (bateria), Waldemar e Tizu (percussão)

Feitio de oração (Noel Rosa/Vadico)
Disco: Casé interpreta Noel Rosa (Columbia, 1960)
Músicos: Casé (sax tenor), Paulo Lima de Jesus (piano), Garoto (vibrafone), Heraldo do Monte (guitarra), Xu Viana (baixo), Turquinho (bateria), Waldemar e Tizu (percussão)

Love walked in (Ira/George Gershwin)
Disco: História do Jazz em São Paulo (Bandeirantes/Wea, 1978), gravado ao vivo no Teatro Cultura Artística, em 1956, por Carlos Moura
Músicos: Casé (sax alto), Dick Farney (piano), Xu Viana (contrabaixo) e Rubinho Barsotti (bateria)

Menina Moça (Luiz Antônio)
Disco: Samba Irresistível/Casé e seu conjunto (Hi Fi Variety, 1960)
Músicos: Casé (sax tenor), Paulo Lima de Jesus (piano), Heraldo do Monte (guitarra), Garoto (vibrafone), Xu Viana (contrabaixo), Dirceu Medeiros (bateria), Waldemar e Tizu (percussão)

Out of nowhere (Heyman/Green)
Disco: The Good Neighbors Jazz (Columbia, 1958).
Músicos: Casé (sax alto), Major Holley (contrabaixo), Moacyr Peixoto (piano) e Jimmy Campbell (bateria)

Palpite Infeliz (Noel Rosa)
Disco: Casé Interpreta Noel Rosa (Columbia, 1960)
Músicos: Casé (sax tenor), Paulo Lima de Jesus (piano), Garoto (vibrafone), Heraldo do Monte (guitarra), Xu Viana (baixo), Turquinho (bateria), Waldemar e Tizu (percussão)

Quarto de Hotel
Disco: A virgem de Saint Tropez (Fermata, 1974).
Trilha de Hareton Salvanini e Beto Ruschel para o filme de Zigmund Sulistrowski.
Arranjo: Hareton Salvanini

Risque (Ari Barroso)
Disco: História do Jazz em São Paulo (Bandeirantes/Wea, 1978), gravado ao vivo no Teatro Cultura Artística, em 1956, por Carlos Moura
Músicos: Casé (sax alto), Dick Farney (piano), Xu Viana (contrabaixo) e Rubinho Barsotti (bateria)

Summertime (George/Ira Gershwin)
Disco: Meu Baile Inesquecível (RGE, 1963)
Casé e seu conjunto

Yesterdays (J. Kern/O. Harbach)
Disco: The Good Neighbors Jazz (Columbia, 1958)
Músicos: Casé (sax alto), Major Holley (contrabaixo), Moacyr Peixoto (piano), Jimmy Campbell (bateria)

You'd be so nice to come home to (Cole Porter)
Disco: Coffe & Jazz (Columbia, 1958)
Músicos: Casé (sax alto), Moacyr Peixoto (piano), Luiz Chaves (baixo), Rubinho Barsotti (bateria)

19 comentários:

Marcos Farhat disse...

Caríssimo Nando Lichti Barros,
Como é bom cultura e como é bom receber cultura com tanta qualidade.
Prazer em conhecer o músico Casé e sua obra.
É fantástico.
Gostei muito.
Agora vou puxar o saco!!!
Só poderia ser meu Primo para tanta primazia!
Grande beijo aqui de Piracicaba solar dos Farhat.
Saúde.

dionéia disse...

já conhecia o texto mas com as fotos ficou bem mais legal, elas situam bem o que rolava paralelamente
bj

A. Fiorin disse...

Caracas, tio, que obra maravilhosa. Agora, me diga uma coisa: quando é que ela também será publicada em papel? Com certeza, um belo projeto. Se precisar de alguma coisa aqui dessas bandas, é só dizer. Grande abraço, saudade...

...de seu sobrinho de cruz e de copo!

Gutão

Alexandre de Alcântara disse...

Parabéns pelo blog em meu nome e de meu pai, Carlos Alberto de Alcântara(saxofonista).
Abraços

Alexandre de Alcântara disse...

Se você tiver orkut ou myspace, gostaria do link para divulgar sua comunidade entre os músicos que conheço.
Abraço e mais uma vez parabéns.

João Araújo disse...

Fernando, parabéns pelo trabalho.
Vamos aguardar o livro, o baile, "o filme".

Abraços, Caramujo.

Marcello disse...

Oi Fernando,

Parabéns! Já estou lendo os capítulos e ouvindo a Rádio Casé. Seu blog tem que virar livro também!

Abs, Marcello

Enéas disse...

Além da grata surpresa por conhecer esse músico formidável, a história toda é um delicioso túnel do tempo. Recordar alguns templos da boemia e imaginar como foram outros. E de saber um pouco do dia-a-dia desses profissionais da música. Tudo com uma trilha sonora de primeira. Merece ser levado para um público maior. Maravilhoso.

Luiz disse...

Não acredito no que encontrei (graças a uma indicação do blog do Carlos Braga)! Há muito tempo procurava informações sobre a vida desse genial saxofonista, que escutei pela primeira vez no disco "Coffe and Jazz' reeditado logo após sua morte. Até hoje escuto esse disco regularmente. O poder de síntese dos solos de Casé em variados standards norte-americanos é admirável. Em poucos compassos ele conta uma história inesquecível, no improviso em "You'd be so nice to come home to", de Cole Porter.
Fernando, muito obrigado mesmo e um milhão de parabéns!

Rose disse...

Maravilhoso! Obrigada,.

humberto schettini disse...

parabens fernando pelo trabalho
meu pai tambem fez parte desta historia, lembro de varias delas
abraço em nome do meu pai
BRAZ ILEIRO SCHETTINI (ESQUETINI)
HUMBERTO SCHETTINI

Anônimo disse...

ferando,
sua página está no blog do nassif.
e maravilha, viu, esta descoberta.


http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2010/04/24/a-historia-do-genio-case/

luzete

Antonio disse...

Lembrei-me do Casé hoje, quando um comentarista na Rádio Jovem Pan, comparou Paulinho Moura ao Casé. Quando jovem, eu frequentava muito os bailes de formatura, com grandes bandas, entre elas a de Silvio Mazzuca. Nos bailes em que este se apresentava com sua orquestra, e que eram muitos, nos "obrigávamos" aquele maestro a parar o baile para apresentação de um show particular do Casé. Era simplesmente maravilhoso.
Paúra.

Paulo Aneas Lichti disse...

Parabéns por esse belíssimo projeto. Diferente, culto, alta qualidade...primo, é tudo o que falta hoje em dia. Abraços. Paulo Lichti.

Vário do Andaraí disse...

Ouvi sua entrevista na cbn no sábado ontem quando saía para trabalhar.

Achei muito legal.

Parabéns pela belíssima iniciativa.

Como tocam estes rapazes.

Abço.

silviospada disse...

CARO FERNANDO,
DAMOS GRAÇAS AOS CEUS POR EXISTIREM PESSOAS COMO VOCÊ. MUITO OBRIGADO PELA RECUPERAÇÃO DO CASÉ, UM DOS MAIORES MUSICOS QUE O BRASIL JÁ VIU. PARABÉNS PELO SEU TRABALHO , SUCESSO COM O LIVRO E TOMARA QUE CONSIGA LANÇAR OS CDs.
UM GRANDE ABRAÇO E TODO O MEU RESPEITO.

George V disse...

Caro Fernando,
Guardo há um mês uma página do Estadão de 29/11 com uma matéria que fala do Casé e de seu blog. Porque esperei tanto? Parabéns pelo seu trabalho, mesmo! Esse homem merece! Agradeço por ajudar a divulgar a fantástica música instrumental e os fantásticos músicos que temos.
Que tal agora um Festival Casé de música instrumental/saxofonistas/jazz?
Um abraço
George Szenészi

Anônimo disse...

Estou lendo o seu livro. Nasci ouvindo jazz. Casé foi um dos 5, no mínimo, sax alto do mundo, de um lirismo inconfudível, lembrando muito paul desmond. Obrigado pela obra.

Aroeira disse...

Fernando, meu velho... Obra magnífica. Parabéns!

 
`